Vamos nos apresentar?


#1

Olá. Meu nome é Felipe Fonseca. Vivo em Ubatuba há dez anos, e atuo em iniciativas de cultura, ciência e tecnologia, pesquisa e educação. Trabalho atualmente em uma empresa de tecnologia chamada OptDyn; sou representante de Cultura Urbana e Digital no Conselho Municipal de Política Cultural de Ubatuba; coordeno o UbaLab; faço parte do ninho e ajudo a construir a inc.ubalab. Em um passado recente, participei do projeto Ciência Aberta Ubatuba e organizei em Ubatuba quatro edições do Festival Tropixel. No momento, estou liderando a criação da sei.eco e outros projetos.
Sou o primeiro usuário do Conversa Ubatuba e faço parte das equipes de administração do sistema e moderação das conversas. Estou disponível para todo tipo de conversas, e aceito ajuda em todas as iniciativas mencionadas acima.
E você, quem é e como chegou aqui?


#2

Salve, sou Marcelo (chapexs) moro em Ubatuba faz 5 anos trabalho para uma empresa de segurança eletrônica chamada GSS, faço parte do ninho, sou integrante do nodo local Faircoop Ubatuba que participa no inc.ubalab. Estou interessado em participar na criação do sei.eco para criar uma estrutura jurídica independente que abra as possibilidades de sustentabilidade de diferentes projetos. Cheguei aqui por causa do ninho!!!


#3

Meu nome é Allan, cheguei até aqui via Felipe Fonseca e Henrique Parra, que me convidaram para participar do projeto Ciência Aberta Ubatuba, via o grupo LindaGeo, acrônimo de Litoral Norte Dados Abertos Geoespaciais.

Faço parte também da comunidade que usa o espaço de coworking Ninho Ubatuba.

Esse movimento teve início em 2016, desde que me instalei em Ubatuba.

Trabalho com mapeamento do território utilizando Sistemas de Informações Geográficas (SIG) e mapeamentos participativos (cartografia social).

Atualmente coordeno a pesquisa CoAdapta | Litoral, trabalhando com comunidades locais para mapear os riscos de desastres em seus territórios e buscar estratégias conjuntas de adaptação aos efeitos das mudanças climáticas.
Sou colaborador do projeto Cemaden-Educação, e em Ubatuba tenho feito parcerias com a Escola Municipal Pres. Tancredo Neves e EE Semiramis para organizar atividades e estratégias de redução de riscos de desastres (RRD), preconizada pelo Marco de Sendai 2015-2030 pela UNISDR.

Graças ao Felipe Fonseca, conheci a plataforma wiki como usuário ativo desta ferramenta, e parte dos trabalhos que desenvolvo estou usando a Wiki Ubatuba para registrar e divulgar os resultados: CoAdapta | Litoral e LindaGeo

Estou aberto a conversas para aprender, empreender, compartilhar com os colegas interessados nos temas afins.


#4

Me chamo Junior e há alguns anos atrás e se não me falha a memória conheci o Felipe na semana de tecnologia da do Centro Paula Souza de Ubatuba em 2013. Nasci em Ubatuba e ai vivi por vinte e dois longos anos… Atualmente moro em São Paulo e trabalho como desenvolvedor na Rappi

O primeiro projeto que participei dentro do Ninho (na época ainda Ubalab) foi o Avante, idealizado pelo Bernardo Dias.

Enquanto estava em Ubatuba eu buscava sempre participar das iniciativas do Ninho sempre que possível e ainda busco, mas morando longe dica um pouco mais complicado.

Estou aberto a contribuir com o que for necessário e estiver ao meu alcance.


#5

Eu sou o Alejandro, moro em Ubatuba há uns 4 anos. Ao todo vou fazer 10 anos no Brasil. Sou “maestro de escuela primaria” como a gente diz na Argentina, ou pedagogo aqui no Brasil. Trabalhei como professor de espanhol em empresas em São Paulo durante alguns anos.

Sempre me interessei por tecnologia (uso o Linux desde 2005, por exemplo), mas a vida foi por outros rumos mais humanísticos. Há uns poucos anos decidi “mudar de carreira”. Comecei a estudar programação de forma autodidata, depois fiz o curso técnico (ETEC), um nanodegree sobre Front-end da Udacity, e atualmente estou terminando o segundo ano de Engenharia da Computação na Univesp. Tenho ministrado oficinas voluntárias de Linux Essentials para alunos do curso técnico da escola Tancredo Neves; algumas oficinas informais sobre Git e GitHub para alunos do curso de informática do Centro Paula Souza e colaborado com as oficinas de Arduino do Leandro Ramalho na mesma instituição. Sou “proctor” (nada a ver com “proctologista”, são coisas diferentes, tá) da Linux Professional Institute. Sou mais um passarinho do Ninho, também. Há uns meses estou dando continuidade às aulas de robótica para crianças na Triskel, projeto começado originalmente pela Patrícia (Pi).

Interesses: software e hardware livre, Linux, programação, robótica, educação, política, cinema, etc, etc, etc.


#6

Hola, cuando nací me nombraron como Nicolas Santiago. Vivo en Berlin, Estudie Licenciatura en Informática .
Como desarrollador, me apasionan resolver los desafíos que la profesión ofrece. Estoy motivado para convertirme en un experto en mi area. Computer Vision fue el portal que finalmente me convenció para convertirme en programador y, desde que lo descubrí, comencé a trabajar y aprender un grupo de tecnologías que me permiten trabajar como desarrollador y, en paralelo, una comprensión más profunda de la teoría del color y el álgebra y la geometría analítica para apoyar mis habilidades.
Cuando conocí a Felipe y a “la tribu” de Ubatuba, me di cuenta que quiero enfocarme en utilizar mis habilidades para proyectos socio ambientales.
Espero que rapidamente pueda ayudar de alguna manera sei.eco.
Les mando un abrazo!


#7

Olá, sou Bernardo, profissional de desenvolvimento para internet, especializado em interfaces para usuários. Sou técnico em informática industrial e atuo no ramo desde 2006.

Vim pra Ubatuba no final de 2012 e aqui estou até hoje. Participo do Ninho desde o princípio e pretendo continuar apoiando da forma que estiver ao meu alcance.


#8

Olá. Me chamo Luana, sou estudante de Análise e desenvolvimento de sistemas pela UNINTER, conheci essas iniciativas na edição do Ubatech de 2017, tinha acabado de sair de São Paulo para voltar morar em Ubatuba, eu estava no ultimo ano do ensino médio e tinha um certo receio de voltar a morar em Ubatuba por causa de faculdade e trabalho na área de tecnologia. Felizmente descobri o Ninho e é bom saber que tem uma comunidade aqui em Ubatuba envolvida nessa área. Infelizmente não tenho muito como contribuir, meus conhecimentos ainda são superficiais, mas estou aberto a aprender e ajudar no que for possível e em um futuro poder compartilhar algo.


#9

Olá, me chamo Kei, sou artista, artivista e astrônomo amador. Realizo projetos nas áreas de educação, cinema e música. Gravei discos para crianças, música instrumental e MPB, produzí inúmeros curtas-metragens e realizo um trabalho de documentação de alguns movimentos culturais na região. Há 9 anos em Ubatuba, já tenho meu chapéu caiçara e já aprendi a andar de bicicleta com guarda-chuva. Axé! @tao.kei


#10

Oi gente, sou Cinthia Mendonça, artista e pesquisadora baseada na Serra da Mantiqueira. Sou diretora da Silo – Arte e Latitude Rural https://silo.org.br/, uma OSC que se dedica a promover ciência, tecnologia e arte em zonas rurais e unidades de conservação ambiental por meio de experiências imersivas e práticas transdisciplinares como laboratórios de inovação e experimentação cidadã e residências artísticas. Tenho experiência em trabalho transdisciplinar com comunidades rurais e periféricas.

Atualmente curso o doutorado em Práticas Artística Contemporâneas no PPGART / UERJ e venho trabalhando sobre a estética do universo rural pós-industrial, a relação entre pessoas e objetos técnicos e temas como animismo e resiliência. https://cinthia.mobi/

Desde 2012 promovo laboratórios de experimentação e inovação cidadã no Brasil em zonas rurais. Desde 2014 trabalho como mentora nesse tipo de lab como é o caso do LABIC, uma iniciativa da Secretaria Geral Iberoamericana / SEGIB https://www.innovacionciudadana.org/pt-pt/ e Medialab Prado, Madrid. Através desses laboratórios já esteve assessorando o desenvolvimento de projetos em países como Brasil, Colômbia, México, Espanha e Argentina.


#11

Oi!
Moro em Ubatuba e trabalho como professor na rede municipal. Frequento o Ninho, principalmente nas assembleias da Faircoop, onde participo como membro do Nodo Local Ubatuba. Me interesso por processos de formação de comunidades de aprendizagem em diversas áreas.


#12

Sou nascido em SP e vivo em Ubatuba desde 1987, mas frequento desde a minha adolescência.
Aqui nesta cidade me achei enquanto pessoa e me tornei um ambientalista.
Hoje, professor do ensino público municipal, gestor de ONG, pesquisador e mergulhador, busco deixar um legado da minha passagem por este planeta, que possa melhorar a humanidade e dar sentido a esta vida louca.
Critico do pensamento hegemônico atual, creio que podemos construir uma sociedade que faça enfrentamento aos desafios que as mudanças climáticas nos trarão, com mais justiça social, mais solidariedade e mais humanidade no sentido de respeito ao próximo e às minorias.
Espero colaborar com as conversas e aprender com os pensadores atuais. As trocas sempre nos fazem crescer.


#13

Olá pessoal do Brasil, aqui está o gambiologista (explorador LowTech)

Eu sou @Dailylaurel Sou jornalista de música francesa (Resident Advisor / Dekmantel) / e cineasta, já trabalhei para a Viceland e para a HBO como cinegrafista.

Eu também sou um sem fins lucrativos sobre o mundo da ciência aberta e por isso dou palestras e workshops sobre isso em todo o mundo … Eu visitei cerca de 100 comunidades diferentes com diferentes funções e maneiras de trabalhar / pensar com ideologias específicas dependendo do contexto local

Eu moro entre o Reino Unido, Marrocos, Brasil, Itália e Japão, em vários tipos de comunidades (principalmente hackers rurais e artistas / cientistas / ecossistemas subterrâneos) Estou curioso sobre quaisquer tipos de organizações sociais que promovam sistemas resilientes e usos tecnológicos de baixa tecnologia . Principalmente como os seres humanos interagem com a tecnologia, mas não apenas

Estou interessado na fabricação de muitas idéias conceituais (#ethereum #wiki #cognitive) bem como em material físico (#pirateradios / #woodenSurfboards / #Soundsystems / #permaculture / #fermentation / #mushroomgrowing / construção de #microscópio / #Bioreactor / #Earthship etc. .

minha carteira está aqui> www.serendibscoop.com <é a definição de ativista antidisciplinarista que minha última conferência foi sobre como inventar o futuro em comunidades undeground emergentes

Eu adoraria seguir o projeto de Ubatuba e talvez ficar no local algumas vezes se eu encontrar um lugar para ficar (e aprender português … só falo espanhol, francês, alemão …)


#14

Olá… Me chamo Sili, há 10 anos atrás sai de bicicleta para dar um rolê, vim parar em Ubatuba, me apaixonei por ela e fiquei! Sou artista visual, amante da fotografia, do cinema e as vezes arrisco pintar alguma tela. Estou a disposição para aprender e colaborar nos projetos futuros. Até :slightly_smiling_face:


#15

Hola tod@/01s,
Great news !
Me gustaria venir mas que esa dos aventuras https://info.pingbase.net/a-tropixel-des-lab-en-mouvement/
Presentar algunas nuevas actividades de PING http://artlabo.org/1/dokuwiki/doku.php - https://www.facebook.com/groups/1570435349840316/

pero sobretodo, esa victoria http://zad.nadir.org/ https://zadibao.net/

hasta luego
hasta pronto
quizas

besos
julien B


#16

Salvem! Sou Robert Elmar do Coletivo Neos (www.coletivoneos.org), dentista, ativista no terceiro setor tendo trabalhado na Italia com uma ONG em projetos de desenvolvimento com abordagens variadas no Burkina Faso, Senegal e comunidades ciganas das periferias Italianas. Chegando em Ubatuba em 2013 conhecemos a historia absurda do centro cultural - O Menino e o Mar - idealizado e construído pela atriz Ruth Escobar e o arquiteto Ruy Ohtake na praia do Estaleiro. O menino e o Mar ficou abandonado por 12 anos sendo totalmente saqueado. Arrematamos a propriedade em um leilão judicial, somos educadores, biólogos, atores, agricultores, cozinheiros, permacultores criativos, cheios de filhos, que com amor e vontade iniciam a tornar este espaço em um novo polo de desenvolvimento humano na região. Facebbok: Coletivo Neos


#17

Oi pessoal! Sou a Laura Sobral, de São Paulo. Faço parte do Cidade Precisa de Você. Trabalho e estudo os espaços publicos da cidade como espaços de convivência e de encontro. Estou morando na Alemanha mas vou estar de volta a tempo da edição de 2019 :slight_smile:
www.acidadeprecisa.org


#18

@Neos e @laurasobral, sejam bem vindxs à conversa. A todo mundo: quem está chegando aqui com olhos no tropixel do ano que vem, por favor levem suas ideias, propostas, questões e oferta de espaços aqui: #inc-ubalab:tropixel.


#19

Salve! Sou o Renato Teruya, Educador físico e estudante de Engenharia da Computação. Estou em Ubatuba desde 2003 e gostaria de colaborar para que não acabem com este cantinho tão especial do trópico austral.

Tenho interesse em Novas tecnologias, Tecnologias assistivas, Educação, Acessibilidade, Lei de Incentivo ao Esporte, Turismo Sustentável, Ciência em geral entre outros.

Gostaria de aliar esporte e tecnologia no contra-turno escolar para os menos favorecidos…


#20

Bem vindo, @RenatoTeruya. Se tiver ideias de atividades com esporte (ou outro tema), pode começar uma conversa na seção #inc-ubalab. Sinta-se em casa…