Ubatuba Lixo Zero


#1

No dia 18/jan às 19h, participei da Roda de Conversa no Aquário de Ubatuba com o Kevin Drew do departamento ambiental de São Francisco (Califórnia - EUA). O evento foi feito juntamente com o TAMAR e o Instituto Pólis.

Drew apresentou como que funciona o sistema Zero Waste da cidade. Consiste basicamente em:

  • Cada residência tem 3 latões de lixo de cores diferentes, cada um para:
    • Orgânicos (ou compostáveis) - Verde
    • Recicláveis - Azul
    • Rejeitos (não compostáveis nem recicláveis) - Preto
    • São mostradas aqui: https://sfrecycles.org/
  • Uma planta de compostagem:
    • bem organizada, o resíduo é manejado com tratores, tem aeradores, meio tecnológica, etc…
    • possui uma verificação para remover itens não compostáveis que venham parar lá por engano
    • O composto é vendido principalmente para os agricultores da região (vinicultores, vinhedos) gerando renda para o projeto
  • Uma planta para separação de recicláveis, que são vendidos (não entrou mto em detalhes desse caso)
  • Não lembro se foi falado sobre os rejeitos, mas imagino que devam sem endereçados à aterros sanitários, mas pode ser que façam incineração também…

O projeto Zero Waste é atualmente executado por uma empresa privada (Recology). Existem algumas ações com crianças que participam do processo de compostagem nas escolas.

De forma bem grosseira: a estratégia não tem nada muito distante do que já tem sido proposto por quem trabalha com o tema, o grande mérito é que eles conseguiram implantar isso com sucesso.

Uma das coisas que achei mais legal: ele disse que começou esse trabalho focando no material reciclável, mas atualmente ele valoriza muito mais o processo de compostagem, por que:

  • Ajuda no processo de sequestro de carbono
  • Ajuda na recuperação de solos (onde o composto for usado)
  • Evita o uso de fertilizantes sintéticos que (se mal usados) desestabilizam o ecossistema
  • Representa a maior fração do lixo gerado nas cidades
  • etc…

Algumas pessoas fizeram perguntas e comentários. Resumindo o que foi discutido:

  • O conjunto de 3 lixeiras é adquirido pela prefeitura e distribuído aos cidadãos
  • Sobre a “máfia do lixo”, Drew disse que encontra essa questão em muitos lugares, mas que a população tem que se articular e buscar meios de vencer essa pressão da “máfia”
  • Se gerado composto em Ubatuba ele poderia ser vendido “para fora” já que no município não tem grande produção agrícola

Como haviam 2 vereadores presentes sugeri algumas ações que poderiam ser tomadas pelo poder público:

  • Citei o projeto Composta SP, feito na gestão do Haddad em São Paulo, que teve um grande esforço para difundir a “cultura de compostagem”, sugeri que poderia ser feito um esforço da Prefeitura no sentido de uma campanha e oficinas sobre o tema e compostagem nas escolas. (Composta SP distribuiu minhocários, mas não cheguei a sugerir isso)
  • Citei também o projeto encabeçado pelo Marchiori da CATI que tem feito a compostagem de podas e de alguns parceiros (mercado de peixe, quitanda Izu, etc…), mas que o projeto está com algumas dificuldades financeiras. A prefeitura poderia apoiar de forma mais firme essa iniciativa.
  • Comentei que acho que a utilização dos latões de lixo possa ser um caminho muito importante já que temos mutias chuvas e elas tem se intensificado. Dessa forma o lixo não fica exposto ao tempo, e animais (cachorros, urubus, etc.) e aumenta a salubridade do trabalho dos lixeiros.

Imagino que essa última sugestão seja a mais cara e mais complicada, mas vejo que as cidades exemplares no tema acabam investindo nisso. Não vejo outro caminho. Apesar disso as sugestões que fiz me pareceram bem recebidas por quem estava participando.

Tive que sair um pouco depois de disso e não vi o encerramento da roda.

Trago esse assunto aqui para que possamos reunir uma galera para debater o assunto e buscar soluções e caminhos para que um dia a gente tenha uma Ubatuba Lixo Zero. Sei que temos muitas pessoas capacitadas na região e com vontade de construir realidades melhores. Tenho conhecidos que estão atuando no tema que não estão na Conversa.Ubatuba, estou tentando trazê-las para cá :slight_smile:

Me contem se tem interesse em colaborar sobre o tema, se concordam com as colocações, se tem outra estratégia, etc…

Tragam mais pessoas interessadas pra Conversa Ubatuba para gente criar um grupo de discussão sobre o tema.


#2

Ola meu nome é Tatiana e sou da empresa Flow Desenvolvimento Sustentável, parceira da Morada da Floresta no litoral norte. No ano passado articulei uma palestra do Kevin em Ilhabela no lancamento do Projeto Escola Residuo Zero em Ilhabela. Foram implantadas composteiras nas 39 escolas municipais. O trabalho nas escolas é o inicio de tudo. O Kevin comentou isso na palestra que em San Francisco tudo comecou nas escolas. Os alunos estao aprendendo a fazer compostagem na propria casa, assim como os professores e funcionarios. Fizemos reunioes com os pais para falar sobre separacao do lixo e a importância da compostagem. Se quiser posso apresentar o projeto. Tatiana


#3

Oi Tatiana, obrigado por participar da conversa aqui. Te faço um convite: vamos pensar em alguma coisa durante o #inc-ubalab:tropixel?